Prestação de serviços ecossistémicos numa paisagem multifuncional no Quebeque, Canadá

A região de Montérégie, no sudoeste do Canadá, é um mosaico de parcelas agrícolas, florestas e aldeias nas proximidades de Montreal, a principal cidade.

Landscape patchwork in the Montérégie region in Montreal, Canada

P. Langlois/Flickr

As atividades recreativas e de subsistência são numerosas, entre as quais, o pedestrianismo, a caça, a produção de xarope de ácer e a agricultura. Nesta paisagem multifuncional, os investigadores identificaram seis conjuntos de serviços ecossistémicos claramente definidos localizados em áreas específicas e associados a subsistemas socioecológicos bem conhecidos. Por exemplo, o conjunto “aldeia” – caracterizado por elevados valores para atividades de recreio em florestas, sequestração de carbono, teor de fósforo do solo, matéria orgânica do solo, qualidade da água e caça ao veado e com valores mais baixos para turismo, apreciação da natureza, produção de carne de suíno e de culturas – correspondia a locais na paisagem com comunidades de aldeias dinâmicas. Os outros conjuntos, localizados a nível municipal, foram identificados como terras de cultivo, produção vegetal e de carne de suíno, turismo, comunidades extraurbanas prósperas e casas de campo. A presença repetida de conjuntos de serviços ao longo da paisagem reforça a ideia de que existe uma relação entre os elementos estruturais da paisagem, como a conectividade, e a prestação de serviços ecossistémicos. Apesar das lacunas ainda existentes quanto à compreensão dos efeitos diretos da conectividade da paisagem na prestação de serviços dos ecossistemas, a investigação em curso em Montérégie demonstra que os fragmentos de floresta afetam a prestação de serviços ecossistémicos nos campos agrícolas circundantes, de modo que a gestão da fragmentação dos habitats pode contribuir para aumentar a quantidade e a resiliência dos serviços.